18.1.09

Quebrando a corrente

Recebi um duplo desafio. Minhas amigas Juliana e A Vilã pediram para que eu exibisse uma foto minha seguindo as seguintes regras:

1. Ir até a quarta pasta, no meu pc, onde minhas imagens estão arquivadas;
2. Pegar a quarta foto, desta quarta pasta;
3. Explicar a foto;
4. Escolher quatro pessoas para fazer o mesmo.


Tenho, no entanto, uma série de problemas. Um deles é que fui desafiado como LeonardoDMS, neste blog, e como O Lerdo, minha alcunha no blog Conspirando, do qual também faço parte.
Escolhi postar aqui para ajudar a movimentar estas bandas e tentar não quebrar a promessa de atividade por aqui. Na verdade um problema tecnológico grave me impede de mostrar meus trabalhos, mas espero saná-lo em breve, nem que seja abrindo mão dos avanços da informática.
Outra problema com este desafio é o fato de que várias pastas de fotos minhas não têm uma quarta subpasta e, quando elas existem, não há quartas fotos dentro delas. Por isso, terei de subverter esta corrente, reduzindo o quatro a três e exibindo uma fotografia que sequer existiria se não fosse a curiosidade do homem que a fotografou e vos escreve neste exato momento.


Esta imagem meio "Globo Ciência" foi tirada no Instituto Vital Brazil, em Niterói. Tínhamos como objetivo principal retratar um contraste sob o ponto de vista técnico ou temático e apresentá-lo em seis fotografias. Eu e minha dupla oficial nos trabalhos de Fotografia, Igor César, escolhemos como tema o contraste veneno/antídoto e decidimos visitar o Instituto que abriga diversos espécimes de animais venenosos e, deles, extrai o material necessário para a fabricação do soro antiveneno. Fizemos fotos fantásticas de cobras, aranhas e escorpiões (fantásticas na medida do possível, pois foi nessa visita que eu descobri que minha câmera é extremamente limitada para muitas coisas) e aproveitamos para fotografar tudo o que achávamos interessante. Depois o trabalho tomou um rumo diferente do que havíamos programado, mas esta história eu deixo pra um próximo post.

Agora, eu desafio:

Hanna, do Não vai durar Muito
Helena, do "T" de Tédio
Diego, do Fotolog Diego Clone

Estes estão piores em postagem do que eu, então perdoem se eles quebrarem a corrente hehehehehe

24.12.08

Enfim, o fim.

Depois de três meses sem postar, este blog tem o prazer de anunciar que chegou ao fim. Não, não é um aúncio oficial de abandono do endereço e, conseqüentemente, do projeto. Pelo contrário, para este espaço ainda tenho idéias bastante ambiciosas. Com este post quero explicar que chegou ao fim o período de vazio absoluto de informações que deveriam ter sido expostas e pontos de vista que deveriam ser dados. Entrarei agora num período de trabalho contínuo para poder compensar todo o tempo de ausência.

A quem interessar possa, a ausência foi provocada justamente por minha atividade como estudante de desenho industrial, esta profissão ingrata, que te faz sofrer durante meses para, no fim, ficar radiante ao terminar um trabalho e decepcionado ao conhecer a nota. Foram três meses de muito suor e pouco sono, para conseguir entregar todos os trabalhos com atraso e falhas quase insuportáveis no acabamento. Então, amigos, a primeira lição que deixo antes de começar a expor meus trabalhos é a seguinte. Se você quer ser um bom designer, seja, acima de tudo, um nerd. Planeje até suas visitas ao banheiro, calcule o tempo gasto com idas ao bebedouro, abandone a TV, o Orkut, o MSN, não saia de casa, a não ser para comprar artigos de papelaria, ou para passar na loja de material de construção, de tintas ou de ferramentas. Passando lá, compre lixas. Muitas lixas.

Por enquanto é isso, até o próximo post que, prometo, não demorará três meses pra sair.

16.9.08

Ocupação: Designer

Antes de mais nada, apresento-me para os desconhecidos e para os conhecidos:
LeonardoDMS, 19 anos, estudante de Desenho Industrial na Esdi/Uerj.

Agora, outro detalhe importante, a razão de ser deste blog:
Este espaço servirá, essencialmente, para que o trabalho do futuro designer que vos escreve seja documentado e exibido. Também pretendo abordar aqui algumas questões que surgem com freqüencia no decorrer do meu aprendizado e que, de certa forma, são importantes para entender e contextualizar a profissão que eu escolhi, e que tanto carece de entendimento. Farei meus textos, claro, com a visão de um recém-chegado que, nas palavras de um professor, "precisa comer muito mingau (nem é arroz com feijão ainda) pra entender alguma coisa". Portanto, peço desculpas antecipadamente por qualquer equívoco que eu cometa, devido à imaturidade ou à cabeça-dura dos jovens. Peço também que me repreendam, caso necessário. Com isso, espero poder divulgar meu trabalho e minhas idéias, e para que certos assuntos fiquem mais claros tanto para quem me lê quanto para mim, que escreve.

E-mail: lmsoares@esdi.uerj.br
Telefone: (21)9554-0916